Something is rotten in the state of Spain

Something is rotten in the state of Spain

el-lazarillo-por-goyaNão conheço os condenados. O único que sei deles aprendi-no através das novas que se sucederam trás as suas respectivas detenções. Porém, foram alguns dos artigos escritos desde as prisões espanholas os que acenderam o meu interesse e curiosidade.

No meio deste grotesco processo, li por acaso a tradução para o galego dalguns poemas dos quatro poetas irlandeses condenados a morte a consequência da sua participação no alçamento da Páscoa de 1916. Foi assim que encontrei o seguinte depoimento do oficial britânico Charles Blackader, encarregado de presidir a corte marcial que sentenciaria a morte Pádraig Anraí Mac Piarais (Patrick Pearse, 1879 – 1916):

“Venho de completar uma das missões mais duras que jamais me foram encomendadas. Condenar à morte uma das personalidades mais egrégias que tenho encontrado ao longo da minha vida. Tem de haver alguma cousa muito errada num sistema que faz com que um homem como este vire um rebelde”.

Tem de haver alguma cousa muito errada, certamente, num Estado, Reino do Engano e da Picaresca, que para poder existir tem de inventar organizações terroristas fantasmagóricas, violar sistematicamente os direitos humanos e condenar sem provas cidadãos excepcionais a penas absolutamente desproporcionadas com o objectivo primordial de, sabe-no eles tão bem como nós, criminalizar umas ideias.

Mas são precisamente estas trapaças e estes abusos os que fazem com que o regime perda credibilidade e legitimidade, precipitando a sua queda.