A bandeira da Galízia: Umha bandeira para uni-los a todos

Tem havido ao longo da história variadas propostas de desenho para os símbolos institucionais da Galiza. Porém,  nengumha delas semelha despertar o anseiado consenso entre as tribos galaicas. Nestes tempestuosos tempos de divisões internas dentro do galeguismo, precisamos mais do que nunca símbolos de uniom e confraternidade. É por isso que apresentamos hoje aqui a nossa Bandeira da Galízia, que reúne no seu vanguardista desenho elementos muito queridos para as diferentes tribos.

Os conservadores, apreciarám que o desenho está baseado na actual bandeira da Comunidade Autónoma de Galicia, polo que é um símbolo familiar e reconhecível para todos os galegos. Os espanholistas gostarám da coroa borbónica na parte superior do escudo, como símbolo inequívoco da dominaçom espanhola e da submissom da Galiza à coroa de Castela. Os monárquicos, gostarám da coroa e pronto. Os católicos entrarám em estado de êxtase religioso ante a profusom de cruzes (oito cruzes, oito) que exibe a bandeira, assim como polo cálice central. Os celtistas jurarám que o cálice nom é outra cousa se nom o santo graal das lendas artúricas. Os comunistas, deverám admitir que a incorporaçom duma estrela de cinco pontas representa um grande avanço no tortuoso caminho cara a ditadura do proletariado. Os social-democratas e as pessoas fashion em geral, gostarám duma estrela de formas mais modernas e colorida dum magenta que nos lembra o próprio logótipo do BNG, mas também o de UPyD (para que se veja que nom esquecemos as minorias espanholistas). Por último, aos capitalistas e liberais fará-se-lhes a boca auga com esse símbolo no meio da bandeira que torna a hóstia em moeda de Euro dourada em clara alegoria ao único Deus verdadeiro, o mercado. Sem dúvida, a sua sensibilidade nom poderá ficar indiferente ante a profusom de bling-bling no novo desenho, o qual estimulará a ambição dos galegos para aparentarem ser mais que o vizinho ao tempo que os induzirá ao consumismo compulsivo e desaforado.