Deportem Sarkozy

Deportem Sarkozy

O Presidente Francês, Nicolas Sarkozy, anunciou um projecto de lei que permitiria a revogação da nacionalidade francesa a criminosos de origem estrangeira (nomeadamente se tiverem cometido delitos contra a autoridade pública).

O primeiro problema ao que Sarko deverá fazer fronte é o facto da lei ser inconstitucional. Com efeito, o artigo primeiro da constituição da República Francesa estabelece: “La France est une République indivisible, laïque, démocratique et sociale. Elle assure l’égalité devant la loi de tous les citoyens sans distinction d’origine, de race ou de religion.”

Se todos os cidadãos são iguais perante a lei independentemente a sua origem, é evidente que não pode haver uma lei específica para cidadãos franceses de origem estrangeira. Dito por outras palavras, toda vez que um cidadão obteve a cidadania francesa estará sujeito às mesmas leis que o resto dos seus concidadãos, sem excepções.

Como Sarkozy é advogado ele deve saber isso. E como intuo que não tem intenção de reformar a constituição, acho que o projecto de lei nunca vai ir adiante e tem como duplo objectivo: 1) Por uma cenoura diante dos fozinhos do votante de extrema direita; e 2) Desviar a atenção dos escândalos de corrupção que envolvem o próprio Presidente Sarkozy.

O mais irónico do tema é que, se o projecto de lei for aprovado, em teoria, poderia-se empregar para retirar a nacionalidade francesa ao próprio Sarkozy. Sim, porque, vejamos: 1) nado na França, ele é de origem estrangeira (o pai era um aristocrata filo-nazista húngaro e a mãe uma judia grega); 2) Sarkozy foi acusado de envolvimento em vários delitos de financiamento irregular do seu partido (por enquanto, Clearstream, venda de submarinos ao Paquistão, e affaire L’Oreal).

Deporten Sarkozy, se fazem favor.

E, postos a deportar, e ainda que não vier a conto, semelha que finalmente Rajoy vai levar para Madrid a peste Feijoo. Esperemos que não volte.