A “austeridade” mal endentida ou de como desmantelar a investigação científica na Galiza

Pesquisadores galegos desempregados devido à alegada falta de recursos.

Muitos renunciaram a empregos qualificados no estrangeiro para retornar à Galiza.

O seu sucesso é o seu próprio fracasso. Foram convocados para reforçar a débil estrutura da investigação científica na Galiza, para nutrir os esquálidos grupos existentes ou criar outros novos e torná-los competitivos a nível internacional. Eles criaram novas linhas, dirigiram teses, ensinaram… Cumpriram a finalidade para a qual foram contratados. Em muitos casos, depois de renunciar a empregos qualificados no estrangeiro. Para voltar para casa era necessário uma estadia mínima de dois anos de investigação fora da Galiza, superar um exame de entrada dura e submeter-se quatro avaliações alo longo de cinco anos de contrato. Mesmo  obtiveram a acreditação Manuel Colmeiro expedida pelo governo regional, quem financia os contratos trianuais, que em teoria lhes havia permitir acceder a contratos indefinidos. Mas agora, decepcionados, estão desempregados.

Leia artigo completo em castelhano [PDF].